Sexta-feira, 28 de Setembro de 2012

Reservas de ouro do Banco de Portugal valorizam 13% desde o início do ano

 

 

O ouro continua a brilhar nos mercados internacionais e, consequentemente, a valorizar as reservas deste metal precioso detidas pelos países. Portugal não é exceção. Face ao preço atual, as reservas de ouro detidas pelo Banco de Portugal estão hoje avaliadas em 16,8 mil milhões de euros.

As contas são simples de se fazer. Portugal detém quase 383 toneladas de ouro que, face à cotação atual do metal precioso, de 1.757,6 dólares a onça 'troy', equivalem a um montante de 16,82 mil milhões de euros.

Fazendo a análise desde o arranque do ano, Portugal viu o valor das suas reservas de ouro valorizarem em 13,1%, ou 1,95 mil milhões, já que no final de 2011 os stocks estavam avaliadas em 14,87 mil milhões de euros.

De acordo com os dados mais recentes do World Gold Council, relativos a setembro, Portugal está no top 15 dos países do mundo com mais reservas de ouro. Segundo aquele organismo, Portugal está na 14ª posição.

O Banco de Portugal não compra nem vende ouro desde o terceiro trimestre de 2006. As últimas vendas ocorrem em 2003 e 2006 ao abrigo de um acordo com outros bancos centrais, que limita as vendas deste ativo.

Ouro caminha para o melhor trimestre em mais de dois anos

O ouro valorizou hoje pela primeira vez em quatro dias, mantendo a toada positiva que tem vindo a registar neste terceiro trimestre que, a continuar assim, poderá ser o melhor em mais de dois anos.

Na base do brilho do metal precioso estão os estímulos anunciadas pelos bancos centrais mundiais para fomentar o crescimento económico, bem como as greves nas minas de ouro que se verificaram na África do Sul.
Deste modo, o ouro segue a valorizar para os 1,760 dólares a onça 'troy'. Desde o final de junho que o metal acumula ganhos de 10%, o saldo mais positivo a nível trimestral desde os três meses terminados em junho de 2010

 

in 27/09/2012 | 11:52 | Dinheiro Vivo

publicado por Carlos Tavares às 12:45
link do post | comentar | favorito
Domingo, 16 de Setembro de 2012

Libra em ouro ou Soberano

Desde o império romano atè à actualidade muitos foram os imperadores, reis e soberanos que cunharam moedas em ouro.

Fizeram-no com a intenção de perpetuar o seu reinado para além da morte, ostentar poder e riqueza e ter uma moeda respeitada para as transações comerciais.

Os reis portugueses D. João V e D. José foram responsáveis pela cunhagem de uma grande quantidade de moedas de ouro da monarquia portuguesa.

Napoleão e o império austro-húngaro também cunharam muitas moedas em ouro, ainda hoje muito apreciadas e procuradas pelos coleccionadores e investidores.

Mas o grande destaque vai, sem dúvida, para o Reino Unido, que cunhou até aos nossos dias a famosa Libra ou Soberano .

Cada moeda tem 7,937 g de peso bruto, com 91,67% (22 Kt) de teor de ouro puro, o que se traduz em 7,2 g de ouro puro.

Milhares de toneladas de ouro foram transformadas em libras desde 1817 e espalhadas pelo mundo inteiro pela comunidade inglesa nas transações comerciais com outros povos.

A sua introdução no nosso país deve-se a vários factores, entre eles, a excelente relação comercial que sempre tivemos com os ingleses, sendo de realçar os comerciantes e produtores de vinho do Porto, assim como, o comércio de carne de gado bovino e ainda, com a construção da linha de caminho de ferro por companhias inglesas.

Estes factos fizeram com que esta moeda circulasse no nosso território como moeda de troca, sendo também um objeto de aforro.

Normalmente estas moedas apresentam a efígie da Rainha Vitória (1837/1901) pois esta soberana reinou durante um longo período.

Muitas são as histórias que chegam aos nossos dias relatando factos de comerciantes, industriais e lavradores abastados que possuíam grandes quantidades destas moedas nas suas fortunas pessoais.

Estes factos fizeram também  com que muitas mulheres utilizassem a libra como objeto de adorno, sendo uma forma de ostentar poder e riqueza na sociedade de época.

Muitos foram os objetos feitos nas nossas oficinas de ourivesaria onde a libra foi utilizada, sendo a mais popular a guarnição orlada de fantasias e os vulgares brincos, mas também botões de punho, alfinetes, berloques para correntes de relógio, entre outras.

É também tradição, padrinhos e avós oferecerem libras às crianças no seu batizado, para dar inicio ao seu "tesouro".

Atualmente e sendo este um momento de grande instabilidade das economias mundiais, muitos são os investidores que reforçam os seus investimentos comprando esta tão apreciada e respeitada moeda.

A longevidade desta moeda deve-se ao facto de ter sido um valor seguro e um investimento altamente rentável acompanhando as oscilações do ouro nos mercados mundiais.

publicado por Carlos Tavares às 20:05
link do post | comentar | ver comentários (28) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
25
26
27
28

.posts recentes

. Reservas de ouro do Banco...

. Libra em ouro ou Soberano

.arquivos

. Fevereiro 2017

. Agosto 2016

. Janeiro 2016

. Agosto 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Junho 2013

. Maio 2013

. Fevereiro 2013

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Fevereiro 2012

. Agosto 2011

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Deixemos apenas de existi...

. Música, apenas.

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds