Domingo, 8 de Março de 2009

Atentado ao património da Ourivesaria Portuguesa

 

Devido a uma onda crescente de insegurança e associado à cotação do ouro batendo máximos históricos, muitas famílias portuguesas em situação difícil aproveitam este momento para vender os seus objectos de ouro e jóias.

 

Um pouco por todo os país abrem pequenas lojas e escritórios de comerciantes oportunistas e sem escrúpulos que tentam chamar até si todos aqueles em dificuldades, prometendo a compra dos objectos de ouro a preços elevados.

 

Estas empresas compram tudo que lhes aparece pela frente, pagando aos clientes (vítimas) o preço definido por uma tabela que está muito aquem do verdadeiro valor das peças.

 

Compram libras a peso, sem valorizar o seu estado de conservação, raridade ou valor numismático, compram peças de joalharia sem atribuir qualquer valor às pedras preciosas que nelas estão incrustadas, compram objectos manufacturados no séc. XVII ao mesmo preço que uma jóia fabricada de uma forma industrial no século XX, compram tudo sem qualquer rigor ou cuidado na valorização das peças, sendo o destino o cadinho.

 

Diariamente são fundidos em fornos industriais grandes quantidades de objectos de ourivesaria, desde simples alianças, malhas simples até objectos de rara beleza e manufacturação delicada e precisa . Em poucos minutos aquilo que demorou muitas horas a criar e fabricar e se manteve nas famílias de geração em geração, é destruído pelo calor.

 

Objectos de valor histórico e arqueológico, peças de colecção, testemunhos de épocas ricas da ourivesaria portuguesa, trabalhos de importantes artesãos e industriais, moedas, símbolos do nosso passado, muitos testemunhos de histórias de famílias e reinados têm o mesmo infeliz destino.

 

Não estarão estas empresas a atentar contra o património da ourivesaria portuguesa?

 

Que testemunhos ficarão para o futuro dos belos e delicados trabalhos de filigrana do século XIX da filigrana de Póvoa de Lanhoso ou Gondomar?

 

Quase nada, somente o que resta em algumas colecções particulares muitos bem guardados nas caixas fortes ou em alguns poucos museus.

 

Uma situação semelhante a esta, passou-se no início do século XIX, quando as tropas napoleónicas entraram em terras portuguesas e saquearam e destruíram muito do nosso património histórico, também fundiram as pratas civis e religiosas das igrejas, derreteram moedas de ouro e prata, com a fim de financiar a invasão.

 

São muito poucos os bjectos de ourivesaria desse período que chegaram até aos tempos actuais. Esse é um dos motivos pelo qual essas peças são ou deveriam ser valorizadas, a sua raridade.

 

Considero esta destruição maciça de objectos de ourivesaria um atentado ao nosso património, é como se destruíssemos os quadros de Vieira da Silva aproveitando as molduras para fazer lenha, ou as esculturas do Cutileiro usando o granito ou a mármore nas soleiras das portas.

publicado por Carlos Tavares às 18:33
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Ana Silva a 29 de Dezembro de 2010 às 11:53
Olá Caro Carlos Tavares, em primeiro lugar, não sei se tem conhecimentos dos valores do ouro reais, o ouro rege-se pela venda em Dollares e o Dollar está em baixa... O ouro é cotado por barras de ouro fino, e esse ouro sim tem valor comercial, pois é esse o qual faz a riqueza e o tesouro Nacional, nos bancos nacionais... Em relação ás peças fantasticas de ourivesaria, só as vende quem quer, ou será melhor vender em antiquarios onde lhes pagam menos? Se o Senhor é tão amante deste genero de peças, porque não abre você um negócio e as compra ao justo valor, ajudando assim quem necessita do dinheiro e não tem mais onde o ir buscar, seria bom para todos, menos para si, pois iria ficar com peças lindas mas as quais não teria como dar vazão porque como você existem 1% da população, porque hoje em dia ninguém se interessa nos chamados tesourinhos como você refere...
A sério abra uma lojinha e pague o justo valor, já agora sabia que há quem venda ouro para ter dinheiroi para alimentação diária? Sabe que valores são praticados por grama de ouro? Que tal fazer as contas ao valor do ouro em barra passar para 19,2 K e fazer as contas... Empresas sérias recebem margens de 10% de lucro... uma loja "dos Chineses" recebe 100% e não paga impostos ao país... Também lhe dou razão que há lojinhas que pagam valores ridiculos por ouro... mas pesquise faça contas... e Abra os olhos para a realidade não só portuguesa mas mundial, pois essas lojinhas estão por toda a Europa...

Bem haja

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
25
26
27
28

.posts recentes

. Reflexôes sobre Empresas ...

. Ouro,diamantes, alianças ...

. Póvoa de Varzim - É bom n...

. (Des) Informação!

. Formação continua!

. Novo Regime Jurídico das ...

. Replicas perfeitas!

. Um grande exemplar!

. Estou de volta!

. Basta de Insegurança!!

.arquivos

. Fevereiro 2017

. Agosto 2016

. Janeiro 2016

. Agosto 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Junho 2013

. Maio 2013

. Fevereiro 2013

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Fevereiro 2012

. Agosto 2011

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds